História do Queijo Reino

Publicado em 24/10/2016

1 comentários I comentar

A história do Queijo Reino nos leva ao tempo do Brasil Colonial. Naquela época, a família real portuguesa trazia da Europa o queijo tipo Edam, que era transportado até aqui dentro de barris que, em viagens anteriores, eram utilizados para armazenar vinho.

Como essa viagem era feita por navios, o queijo passava meses dentro dos barris, o que acabava alterando sua maturação, sabor e textura, além de sua casca que ficava avermelhada por causa da coloração que o vinho deixava dentro dos barris. Ao final da jornada, o queijo passava por tantas transformações, que acabava se tornando um outro queijo, o queijo “do Reino” de Portugal, como o conhecemos hoje.

Naquele tempo, esse tipo de queijo era uma raridade no Brasil, sendo, muitas vezes, oferecido como presente a pessoas queridas, desejando a elas prosperidade, tradição que se perpetua até hoje. Atualmente, também conhecido como “queijo cuia”, o Queijo Reino pode ser encontrado com muita facilidade nos supermercados, às vezes, em latas e em outras fracionado em pedaços, como é o caso do Queijo Reino Tirolez. O Queijo Reino Tirolez tem um sabor pronunciado e picante e uma textura firme que se derrete fácil na boca, características que ficam mais acentuadas à medida que o queijo envelhece. Combina com chás ou vinho tinto. É uma ótima pedida sozinho ou como acompanhamento.

Queijo Reino Tirolez foi eleito, por seis vezes, o melhor do Brasil, pelo Concurso Nacional de Produtos Lácteos, qualidade que fica evidente em seu delicioso sabor. Além disso, destaca-se por ser um queijo muito versátil. Pode ser consumido sozinho como aperitivo, mas também oferece ótimos resultados em diversas receitas.

• Experimente usar o Queijo Reino Tirolez em sanduíches quentes ou frios, molhos, saladas, risotos, doces e surpreenda-se com um sabor inigualável.

Comentários deste Artigo

  • Nilson Oliveira09:25 PM - 07 Jun 2018

    UMA SIMPLES FORMALIDADE
    (sobre certa estória do queijo reino)

    Caros, peço licença e mil desculpas, mas como se trata de uma questão histórica (da historia do queijo) não poderia deixar de fazer a devida interferência, em favor da informação correta, na direção da coerência histórica, sobretudo, da informação.
    Cordialmente,

    Nilson oliveira
    nilson_olliveira@yahoo.com.br


    O QUEIJO DO REINO
    _______
    O queijo do reino [1] é uma variedade de queijo semiduro e maturado, que tem a forma arredondada e casca avermelhada e cuja forma tradicional de apresentação é a embalagem de lata, geralmente vermelha [2]. Foi assim que surgiu o queijo do reino, que foi portanto o primeiro queijo curado industrializado do Brasil.[2]

    No período em que permaneceu no Brasil, a corte portuguesa importava queijos Edam da Holanda, via Portugal.[3] Mais tarde, na década de 1850, o português Carlos Pereira de Sá Fortes contratou dois técnicos holandeses para uma fábrica de laticínios na região de Santos Dumont, Minas Gerais, os quais começaram a produzir um queijo inspirado no Edam para suprir a demanda pelos «queijos dos nobres portugueses».[3] [nota 1] A origem de seu nome seria em virtude de este ser inicialmente fabricado para consumo dos nobres do Reino de Portugal, que na época estavam estabelecidos no Brasil. Posteriormente, seu consumo se popularizou entre as classes mais abastadas do país e hoje em dia é amplamente consumido, principalmente nas épocas de Natal e de Festas Juninas.

    Em Portugal, o conhecido «queijo flamengo»,[4] possui a mesma forma arredondada e casca avermelhada, porém o sabor e a textura são completamente diferentes entre os dois queijos. A casca avermelhada é o resultado da mistura com o urucum. O uso do urucum é uma prova da utilização de produtos nativos das América pelos holandeses. Os indígenas comercializavam diretamente o urucum com os holandeses.

    Notas
    1. Editores do Aulete (2007). «Verbete: queijo do reino». Dicionário Caldas Aulete. Consultado em 24 de janeiro de 2014.

    2. LEANDRO, Jair Jorge. Queijos – uma introdução. [S.l.: s.n.] 158 páginas. ISBN 9788541604154

    3. GANSALVES, Paulo Eiró (2001). Livro Dos Alimentos. [S.l.]: MG Editores. 266 páginas. ISBN 9788572550277

    4. ENDRES, Aline. Pocket Culinary Art Dictionary: Portuguese-English – English-Portuguese. [S.l.]: New Global Publishing. ISBN 9780979174858

    Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Queijo_do_reino#Hist%C3%B3ria


Comente este Artigo

Você precisa estar logado para fazer um comentário.

Escola do queijo

Organização da Geladeira

Organização da Geladeira

Confira
Você é Queijo Fã-Clube?

Você é Queijo Fã-Clube?

Confira
Combinando queijos com diferentes tipos de massas.

Combinando queijos com diferentes tipos de massas.

Confira